A história e as curiosidades por trás da barba

No Egito antigo a barba era usada para diferenciar os membros da sociedade. Os mais nobres mantinham a barba grande em sinal de que tinham posses e algum título importante.

Hoje as coisas estão bem diferentes, e a barba se tornou algo muito ligado ao estilo, e já é quase impossível fazer associação de barbas com classes sociais.

Por volta do século XX era muito difícil ver homens de barba, e um rosto sem barba virou sinônimo de higiene, fazendo com que adeptos da barba a abandonassem e adotassem o que chamamos hoje de “cara limpa”.




Nos dias atuais, a barba virou febre, e quem não tem quer ter, quem tem não quer tirar. Virou uma verdadeira paixão, e acabou virando também livro – 100 Beards, 100 days – e uma page no Facebook dedicada aos barbudos chamada “Faça amor, não faça a barba”.

Durante 100 dias o fotografo Jonathan Daniel Pryce saiu pelas ruas de Londres atrás dos mais diversos estilos de barba. O projeto foi inédito e muito elogiado que acabou virando um livro, que já está em sua segunda edição.

O livro é incrível, e é possível ver barbas de todos os estilos: loiras, ruivas, aparadas, grandes, ralas e falhas.

Outras curiosidades sobre a barba:

Na antiguidade muitos homens tinham a barba tão grande que raspavam a cabeça e usavam a barba trançada enrolada na cabeça de acordo com a sua classe social.
Cientistas comprovaram que homens que tem barba tem pelo menos 35% a menos de exposição aos raios UV.
Em 1999 foi inventado o “Movember”, uma mistura de “Moustache” com “November” (bigode + novembro), onde os homens deixavam apenas o bigode para conscientizar os outros homens ao cuidado com a saúde.
Curtiu o post e quer indicar uma pauta para a Macho Mens? Deixa aqui nos comentários.

Fonte: MACHO MEN´S